18 de fevereiro de 2011

GREVE: Diretora chama atenção e faz manifesto em frente a escola

A diretora da Unidade Escolar Leonardo das Dores, Elisaldete Barros, na manhã de hoje (18) fez um manifesto em frente a Unidade Escolar José Nogueira de Aguiar, relacionado a greve dos professores da rede estadual de ensino.

Para a diretora, o objetivo do manifesto é para que não haja aula na rede estadual em Esperantina, caso que desde do início da semana vem acontecendo. A manifestação é por causa dos professores bolsistas que não aderiram a greve e estão dando aula no José Nogueira de Aguiar.

"Os professores não precisam dar aula, não se houver ajuste salarial, todos do estado em Esperantina tem que está fechado", disse a diretora.

"Se houver aula, nossa greve não tem sentido e nada vai ser resolvido", declarou a diretora Elisaldete Barros.

Os professores bolsistas ou “seletistas, são o que se pode chamar de “carta na manga” para o Governo do Estado, já que, sendo eles apenas contratados no podem grevar, enfraquecendo assim o movimento grevista.

Talvez esse seja o motivo de estar cada vez mais difícil se passar nos concursos do estado do Piaui, os bolsistas precisam do emprego e o estado deles... nos momentos de greve!
Diretora Elisaldete Barros
 
 

14 comentários:

  1. Professora Odisséia Brejal, membro da Diretoria Regional do SINTE-PI18 de fevereiro de 2011 11:31

    Sr. Kleber Oliveira, sou a Profesora Odisséia Brejal, membro da Diretoria Regional do SINTE-PI, em primeiro lugar, gostaria de chamar sua atenção para os fatos. Antes de postar qualquer coisa a respeito de qualquer assunto, deve-se primeiro, ir atrás dos acontecimentos e observar quem faz o que. O manifesto citado acima é do SINTE-PI, a Diretora foi apenas rebater um comentário feito por mim, no carro de som, contratado por este sindicato para chamar a atenção dos alunos e pedir sua colaboração neste momento de luta. Antes de se divulgar qualquer assunto, faz-se necessário procurar saber o que está acontecendo e ouvir os dois lados. Da forma como o senhor colocou, deixou a entender, para qualquer leitor, que este é um manifesto da Diretora. Pelo contrário, o manifesto é do SINTE justamente contra a instituição de ensino na qual ela é diretora. Faça seu trabalho de forma responsável, pois com isto, comprovo que o senhor costuma fazer seus comentários, sem ir atrás da verdade.

    ResponderExcluir
  2. ela apenas foi esclarece o mal interditado quer os professores estava falando da escolar porque a mesma nao entro de greve e os alunos do Leonardo quer quiser a greve porque estao na escolar tinha quer da vaga para quem quer estuda.

    ResponderExcluir
  3. Professora Odisséia Brejal18 de fevereiro de 2011 15:19

    Caro anônimo, a manifestação não é para impedir nenhum aluno de estudar, pelo contrário, a manifestação é justamente para que quem quer estudar, tenha uma escola com qualidade. O Leonardo das Dores está oferecendo uma modalidade de Ensino maravilhosa para os alunos de nossa cidade e cidades vizinhas, porém, não oferece infra-estrutura adequada para os curso. Não tem nem espaço físico para receber o alunado, tanto é verdade, que existem 06 (seis) salas de aula funcionando na Unidade Escolar José Nogueira de Aguiar, unidade esta, que está perdendo aluno que também quer estudar, mas quer fazer o Ensino Médio Regular e está privado de estudar porque o espaço físico da escola está cedido para receber as salas do Leonardo das Dores. Esta luta, não é para impedir que os alunos fiquem sem aula mas, para garantir melhor qualidade de ensino. Me responda, se puder: Pode haver um curso profissionalizante por exemplo de Técnico em Enfermagem, sem o estabelecimento de ensino ter um laboratório de Enfermagem? ou, pode haver um curso de Técnico em Análises Clínicas, sem o estabelecimento ter um laboratório de Análises Clínicas? Onde o aluno vai fazer as aulas práticas para assim estar preparado para fazer o estágio, que é necessário para que ele possa ao concluir o curso, receber seu DIPLOMA? É disso que falamos... condições de trabalho para o professor e de conhecimento para o aluno. Tem Biblioteca lá, ou o aluno precisa, pagar uma Lan House, quando tem que pesquisar algo? Falamos aqui, de melhores condições para os trabalhadores em Educação e para o educando.

    ResponderExcluir
  4. Muito bem minha cara professora Odisséia, meus aplausos para pessoas esclarecidas como voce e a professora Elizaldete, que tentam fazer as coisas andar direito. PARABENS !!!

    ResponderExcluir
  5. parabéns para vc professora odisséia

    ResponderExcluir
  6. uma caisa é certa, esta de parabens a prefeitura municipal de esperantina, começou o ano pagando o piso nacional de 1.180,00. Enquanto o secretario estadual aguardo o anuncio do piso, aqui o município ja implantou. Eita Chico bom.

    ResponderExcluir
  7. Renata Maria da Costa, estudante de direto.

    Para a professora ODISSÉIA BREJAL:

    Lei da Imprensa

    Lei n.º 5.250, e 09/02/1967, ou Lei de Imprensa.

    Art. 71 (LEI DE IMPRENSA):
    Nenhum jornalista ou radialista, ou, em geral, as pessoas referidas no art. 25, poderão ser compelidos ou coagidos a indicar o nome de seu informante ou a fonte de suas informações, não podendo seu silêncio, a respeito, sofrer qualquer sanção, direta ou indireta, nem qualquer espécie de penalidade.

    Art. 5º, XIV (Constituição Federal/1988)
    É assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional.

    Art. 220 (Constituição Federal)
    A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

    Art. 220 parágrafo 1º (Constituição Federal):
    Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto nos art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

    Então professora, antes de comentar, analise nossos direitos e deveres de imprensa.

    Renata Maria da Costa, Teresina - PI
    e-mail: jornalistarenatamaria@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Sou professora e parabenizo nossa colega Odisséia pelos esclarecimentos e agora peço a professora, hoje diretora ELISALDETE conheçemos você, tem sangue sindicalista, é uma pessoa responsável. Por que não colabora com nossa luta? Sinceramente não entendi. Deixe os seletistas a vontade, portão se tranca é em penitenciária. Uma escola precisa ser livre para entrar e sair. A sua participação é importante nessa luta.... não esqueça que é antes de tudo és PROFESSORA, e o que conquistarmos nessa luta vai para seu contracheque.

    ResponderExcluir
  9. vcs nao entendem nada, ou sao burros? O sinte sempre fez manifestacoes, e os professores tem direito a isso, e em quanto a prefeitura pagar e apenas o que eles tem q fazer, é lei bando de ingnorantes que vem da opiniao q nao serve pra nada

    ResponderExcluir
  10. Professora Odisséia Brejal20 de fevereiro de 2011 20:24

    Para a "aluna de Direito" Renata Maria da Costa, antes de querer usar este acontecimento para falar que estuda Direito, preste atenção no que eu falei para o caro colaborador do site. Eu apenas chamei a atenção do mesmo, para ir atrás da notícia, afim de saber o que estava acontecendo de fato, e não, sair postando qualquer coisa que envolve dois lados. O caro colaborador, esteve no local e ouviu o que se falava, então, uma vez que ele foi falar com a Diretora, deveria ter ido aos representantes do Sindicato que ali estavam fazendo a manifestação e ouví-los. Sei muito bem que neste país, todos são livres para expressarem seus pensamentos mas, convenhamos, e você deve ser sabedora disso, já que estuda as Leis, que o direito de qualquer um acaba, quando começa o direito do outro. E eu apenas o chamei atenção porque a manifestação era do sindicato em relação aquela única escola que estava atrapalhando o movimento. Outro direito que você também deve saber é que quando não se sabe do que se trata, se fica calada. Não estamos aqui debatendo direito de imprensa mas sim rebatendo a forma errônea como este colaborador usou o pouco que viu e ouviu, sem procurar saber de que se tratava de fato. Portanto, procure outra forma de espôr ao público que estuda direito.

    ResponderExcluir
  11. ACHO QUE A MANCHETE ESTÁ ERRADA MEU JOVEM REPÓRTER, DEVERIA SER:"PROFESSORA QUE ESTÁ SENDO DIRETORA FAZ MANIFESTO CONTRA SUA PRÓPRIA CLASSE, ATRAPALHANDO O TRABALHO DO SINDICATO."
    A TROCO DE QUÊ? AINDA NÃO SEI... JÁ QUE ELA É TÃO GENEROSA ASSIM, NÃO PRECISA DE DINHEIRO E NÃO FAZ NADA MESMO, DEVERIA ESTAR FAZENDO UM TRABALHO FILANTRÓPICO, ACHO QUE TERIA MAIS RECONHECIMENTO DO QUE ATRAPALHAR UM MOVIMENTO DE UMA CLASSE QUE FALTA MORRER DE TRABALHAR, QUE SE QUALIFICA, QUE FORMA CIDADÃOS, PERSONALIDADES, CARATERES, QUE DÁ DE SI TODOS OS DIAS PARA DAR UMA BOA AULA, PROCURAR MEIOS DE CHAMAR ATENÇÃO DO ALUNO, ENSINAR PARA VIDA E NÓS ESPERANTINENSES ESTAMOS DE PARABÉNS, POIS OS PROFESSORES DAQUI ESTÃO CADA VEZ MELHORANDO, ACOMPANHO DE PERTO E TODOS OS ANOS VEJO O EMPENHO DE TODOS PARA MELHORAR SUAS AULAS, APESAR DOS BAIXOS SALÁRIOS, DA FALTA DE RECURSOS MATERIAS E QUALIFICAÇÃO. Professora Odisséia, obrigada pelos esclarecimentos, quando li está matéria ainda sem comentários, fiquei feliz, pensei: "Puxa, primeira vez que vejo uma diretora falando em prol de greve" e até falei com umas amigas sobre isso, por que sempre quando estão de greve as professoras que estão diretoras ficam neutras, mas depois dos esclarecimentos, confesso que fiquei triste de saber que a professora que está diretora foi rebater com o sindicato, contra sua própria classe, contra sua própria escola, contra seus próprios alunos, contra si mesmo. A troco de quê? Não sei... Educação não se faz de qualquer jeito, tem que ter condição,não adianta trancar o aluno numa escola, sem laboratórios, sem biblioteca, sem ambiente propício, quanto mais sem professor, só para dizer que não está em greve. (Professora Elizaldete, não se preocupe que qualquer hora o governo vai lhe dar uma chance de talvez ser assessora dele - brincadeira, só para descontrair).
    Vamos começar pelas condições físicas da escola, turmas com ar condicionado e carteiras acolchoadas, espaçosa. O ideal seria que cada professor tivesse sua sala, para que os alunos fossem até ele, quem sabe assim eles seriam valorizados pelo menos pelos alunos, cada professor seria responsável por sua sala, decoraria do seu jeito, teria um armário só para ele, depois teria uma biblioteca recheada de livros modernos,um laboratório de informática, uma quadra de esportes, um cinema disponível para um ocasional horário vago...Depois, que os profissionais nos fins de ano fizessem cursos compactos especializados em sua área e no final tivessem aulas motivacionais, com passeios para liberarem as tensões da sala de aula, dos barulhos das crianças para voltarem todo ano com gosto de gás e que principalmente fossem REMUNERADOS por quererem se qualificar e aprender mais. Os vereadores não são remunerados em sessões, então por que professores também não em reuniões pedagógicas, como antes? É aí que está a diferença, professores sentem-se desvalorizados, como realmente são e não é pelas outras classes não, é pela sua própria, como vemos o exemplo acima, e cada vez vão abaixando a cabeça, tem até vergonha de dizerem que são professores, e a aula desse professor como fica? Igual ao salário, sem atrativo. Professores tem que ser resgatados, bem remunerados, instigados a reagirem, tem de se juntarem para crescerem. Todos tem que passar pelo professor, e ser professor é gratificante, pois quando se é com afinco, pelo menos os alunos reconhecem e não esquecem nunca aquele seu querido professor, que teve paciencia com você, que se preparou para dar aquela aula, que mostrou um pouco de seu mundo, que deu de si para que os alunos esquecessem seus problemas, que viajou com eles no mundo da imaginação com suas histórias, que ajudou quando estes estavam desesperados da vida sem saber o que fazer, que os acalmou com um abraço, com um sorriso, com palavras.
    ...

    ResponderExcluir
  12. cont.

    Minha mãe sempre diz: "Ser professor, era bom é no meu tempo, a gente era respeitado, quando falava que era professor não faltava nada, até fiado vendia." (Hoje uma relis aposentada, desvalorizada e detalhe apesar de tentar pagar as contas em dia, as vezes não dá e tem gente que nem se atreve a vender, mesmo tendo comprado a anos sem falhar um mês)
    E sabe o que eu penso de tudo isso: Me sinto realizada em ser professora, sinto nos alunos o brilho nos seus olhos ao ouvir minhas palavras, sinto o calor dos seus abraços e agradeço a Deus por essa oportunidade de fazer o que gosto, mas para pagar minhas contas preciso trabalhar muuuuito, tenho que dar mais de 50 aulas por semana, e pago com muito sofrimento, as vezes preciso pedir emprestado para honrar meus compromissos e continuo devendo, dou tudo de mim, sempre sorrindo, coração aberto, ouvidos mais ainda, corro de uma escola para outra, suor descendo e eu limpando, mas retoco a maquiagem, e ainda vejo colegas professores que ainda dizem: "Mulher, mas tu trabalha demais!" Pra quê?" Penso: "Ora pra quê? Pra pagar minhas contas." Mas digo: É o jeito!! (E sorrio).Mas com tudo isso: classe desunida, colegas invejosos, péssima remuneração, aulas demais (mais do que necessária a um ser normal), meu peito transborda em alegria, sinto necessidade de ser mais atuante, de fazer minha parte,estudo só, pesquiso só, sempre levo algo diferente aos meus alunos, sempre tento passar uma mensagem de esperança, já que a vida de muitos deles não é fácil, muitos nem tem o que comer em casa, precisam trabalhar outro turno para completar a renda de casa, às vezes choro, mas só o que posso fazer é ouvir seus problemas, nada mais além de uma palavra de conforto. Ser professor é ser psicólogo, é ser palhaço, é ser mãe, é ser pai e até ser filho, principalmente ser mágico para transformar as realidades que não queremos, transformar um choro em risos, somos tantas coisas ao mesmo tempo, enfim, me sinto realizada e ao mesmo tempo atribulada por tantas coisas para fazer ao mesmo tempo e quem é professor sabe do que falo, se fôssemos mais remunerados, trabalharíamos menos, ganharíamos mais e sobraria mais espaço para os outros professores trabalharem, cada um daria o melhor em condições satisfatórias. Espero que esta greve sirva pelo menos para que metade do que seja reivindicado vigore para que os nossos filhos possam usufuir daquilo que nós não usufruimos. Acho que me estendi muito, é que sonho demais com um dia em que a Educação realmente funcione de maneira correta, quanto a professora Elizaldete, foi minha professora, e não vou tirar seu mérito, uma excelente professora ao meu ver, mas foi infeliz com essa atitude, mas todos temos o direito de errar e com certeza ela deve ter se equivocado, espero que sim. Mas também não estamos aqui para julgar ninguém.Professora Odisséia, como já falei, muito bom seu esclarecimento, e muita coragem da sua parte também. Parabéns!!!
    Bjos a todos, principalmente aos meus alunos queridos.

    ResponderExcluir
  13. Professora Odisséia Brejal24 de fevereiro de 2011 08:59

    Querida professora, após ler seu comentário, fiquei emocionada, criei ânimo novo e, com o que falou, com palavras tão simples, colocou no bolso muita gente que aqui fez comentário, talvés se exaltando, frisando ser jornalista ou repórter ou sei lá mais o que, mostrando-se apenas de nada entender, e ao mesmo tempo, deixando bem claro, a importância do professor, foram pessoas incapazes de compreender os comentários que fiz, posicionaram-se apenas em favor da livre imprensa, enquanto eu também falava em favor da livre imprensa, com a diferença de minha chamada de atenção que a livre imprensa deve ter ao postar uma notícia. Seu comentário serviu para mostrar para muita gente, a importância de uma Educação de qualidade, uma Educação que forme pessoas capazes de dirigir uma nação, com a responsabilidade de fazer valer os direitos de todos/as que nela vivem. Uma nação realmente igualitária. É de trabalhadores em Educação e trabalhadores em todos os setores, que pensem dessa forma, que precisamos para termos uma nação desenvolvida. Obrigada mesmo pelo apoio.

    ResponderExcluir
  14. Disponha minha querida colega Odisséia, saiba que passei a tarde escrevendo isso e também me emocionei ao escrever, por que escrevi minha realidade a anos e por mais que faço o que gosto, ainda há obstáculos para a perfeição, coisas que não depende da gente,então não poderia deixar de comentar essa matéria. Pois, você está sendo muito corajosa, mostrando a cara, coisa que já fiz e me arrependo, pois até hoje sofro as consequências, no final não adiantou nada, mas nada mesmo, até adiantou serviu para eu ser mais perseguida e discriminada entre os colegas, até hoje os que não me conhecem de perto me olham atravessado, somente as pessoas que viram o que passei é que que sabem o quanto sofri e sofro, pois você sabe como é essa classe, uma classe que deveria ser UNIDA para conquistar seu espaço triunfal na sociedade, fica guerreando entre si, é por isso que CONTINUAM MAL REMUNERADOS. Alguém já viu um bancário falar de outro? Um advogado brigando com outro no meio da rua? Isso só acontece no tribunal, depois a amizade é a mesma. Com professores é tudo diferente, não se falam, não conversam, uns falando dos outros, até em reunião pedagógica, em vez de falar sobre os problemas da escola, vão é falar de professor. O que é isso? Que tipo de ética é essa? Mas, espero, sinceramente, que isso não aconteça com você nem com ninguém, que as pessoas entendam e principalmente os nossos colegas professores que você veio apenas mostrar que o jornalista se equivocou nesta matéria e só, não falou mal de ninguém, sempre foi ética e profissional, apenas direcionou o feito ao sindicato, que foi que alugou o carro para esclarecer o motivo da GREVE. Também não quero generalizar este lado ruim dos professores,conheço muitos professores acolhedores, que lhe ajudam quando você precisa, que tiram suas dúvidas, que lhe orientam, que quando você está para baixo, vai conversar com você, pergunta o que está acontecendo. A escola deve ser uma família, cada um fazendo sua parte, se respeitando, se ajudando, um dando força para o outro, aí tudo funciona.
    Por hoje só.
    Bjos a todos, principalmente aos meus alunos queridos.

    ResponderExcluir

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados os comentários:

* não relacionados ao tema do post;
* com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* comentários anônimos, falando mal de alguém.