18 de fevereiro de 2011

GREVE dos professores: O outro LADO

Com base no comentário da Professora Odisséia Brejal, membro da Diretoria Regional do SINTE-PI, o PORTALESP.com que tem como colaborador Kléber Oliveira, investigou o caso e esclarece para a comunidade esperantinense o real motivo das manifestações que está acontecendo em todo Piauí e em especial, ESPERANTINA e o que aconteceu na manhã de hoje (18) foram apenas fatos visíveis à todos e todas, fotografados e postos neste portal de notícias.
A greve dos servidores da educação está prestes a completar uma semana e não parece perto de uma solução. O secretário de Educação Átila Lira (PSB) informou que o Piso Nacional dos Professores, principal reivindicação dos grevistas só pode ser pago após uma definição do governo federal. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí (Sinte-PI), Odeni Silva afirma que o cumprimento do Piso Nacional depende apenas da secretaria estadual de Educação.

"Estamos conversando o tempo todo com o sindicato mostrando que na hora que o governo federal definir uma orientação sobre o Piso Nacional dos Professores, o Governo do Estado vai cumprir. Até que o governo federal se manifeste não podemos pensar em parar as escolas porque prejudica a criançada em todo o Piauí, principalmente porque este ano temos a Prova Brasil" enfatizou Átila Lira. Ao todo 350 mil alunos estão sem aulas nas escolas da rede estadual de ensino desde segunda-feira quando as aulas deveriam ter começado.

A presidente do Sinte-PI Odeni Silva é taxativa ao dizer que ainda não houveram reuniões entre o sindicato e a secretaria de educação. "O secretário está irredutível e não nos chama para reunião. O governo não pode adotar esta postura de tentar considerar nossa greve ilegal se não nos chama para conversar. O secretário está jogando para a sociedade. A Lei do Piso estabelece a correção do valor do piso a partir do custo aluno que acontece todo mês de janeiro. Nossa greve é porque houve o reajuste do custo aluno e o governo não repassou", comentou Odeni Silva acrescentando que o secretário Átila Lira está protelando a aplicação da lei do Piso Nacional dos Professores no Piauí.

Professores denunciam más condições de trabalho, secretário nega

Os professores comentam que a mobilização vai prosseguir pelo menos até a próxima segunda-feira, dia 21, quando acontece uma nova assembléia da categoria. "A mobilização está agora na visita às escolas. Estamos levando também uma carta aos pais pedindo o apoio para a luta", pontuou Odeni Silva Ela comentou ainda que os pais precisam também estar envolvidos na luta dos professores. "As condições de trabalho que temos não são boas, o que prejudica os alunos durante o ano inteiro", afirmou.

Segundo o secretário de educação os problemas em escolas estaduais estão restritos a apenas 10% da rede na capital. "De maneira geral temos mais de 170 escolas em Teresina e dessas apenas 10% estão em situação precária e que estamos fazendo as adaptações agora porque apareceu algum dinheiro", enfatiza Átila Lira acrescentando que ainda não contou com recursos federais para fazer estes reparos.

Matéria Relacionada:

GREVE: Diretora chama atenção e faz manifesto em frente a escola


15 comentários:

  1. Professora Odisséia Brejal18 de fevereiro de 2011 20:55

    Sr. kléber, onde está o comentário que fiz a respeito de sua infeliz postagem neste portal? Você não retificou nada. Em primeiro lugar, para ser um colaborador sério, você, ao ler meu comentário, deveria ter procurado o Sindicato para se inteirar do que estava acontecendo, em segundo lugar, esta foto que ai está, nem deveria permanecer pois ela foi feita num momento em que a diretora da única escola que está atrapalhando o movimento aqui em Esperantina, usou seu direito de resposta, para rebater um comentário que fiz. E, você deve ter ouvido muito bem, pois acredito que você não é surdo, que o que a mesma fez foi atacar o Sindicato. Portanto, exijo que esta foto seja retirada desta matéria, uma vez que o movimento é do SINTE-PI em favor da classe trabalhadora em Educação, e não da diretora acima fotografada. em segundo lugar, exijo que meu primeiro comentário seja colocado de volta nesta postagem, afim de que os leitores possam entender do que se trata, afinal, você viu, entrevistou a diretora e nem se aproximou dos membros do Sindicato que ali naquele carro de som faziam seu papel de comunicar e pedir o apoio dos pais e dos alunos neste momento de luta. Se você pensa que se retificou da forma que fez, está enganado. seus leitores não compreendem do que se trata e bem menos de que comentário que eu fiz, você se refere. Retratar algo para quem ler requer deixar exposto o que foi dito por você, o que foi dito por mim e por fim fazer sua retratação. Dessa forma é que se trabalha, fazendo um jornalismo onde se busca a verdade dos fatos antes noticiar o que se houve de um ou de outro. Fazer jornalismo sério, significa ouvir boato e dair atrás da verdade, e não, escrever qualquer coisa, sem saber o que de fato é verdade ou mentira. Exijo sim, a volta de sua infeliz matéria, a volta de meu primeiro comentário, para que o leitor possa compreender de que se trata, e por fim, exijo também a retirada da foto da diretora que usou seu direito de resposta apenas para atacar o Sindicato. Seja coerente, deixe explícito tudo o que já estava aqui antes para que o leitor possa entender. Da forma que você fez, em nada você se retratou, você apenas tirou o seu da reta. Quer ser visto como uma repórter sério? Exponha seu erro, minha correção sobre seu erro e por fim esse remendo que você tentou colar aqui para esconder seu deslize, e retire a foto da diretora que ela não tem nada a ver com o movimento manifestado na manhã de hoje. Foi uma iniciativa do SINTE-PI Regional de Esperantina.

    ResponderExcluir
  2. Professora Odi´sséia Brejal18 de fevereiro de 2011 21:11

    verifiquei agora que meu comentário continua, peço desculpas, não havia percebido. Entretanto, mantenho minha exigência de retirada da foto da diretora de todas as postagens a resoeito desta manhã de hoje.

    ResponderExcluir
  3. Professora Odisséia Brejal19 de fevereiro de 2011 07:50

    Muito bem caro Kléber, em retirar duas das fotos agora, só faltam as outras duas....a foto onde os alunos so Leonardo das Dores que permanecem dentro da Unidade Escolar josé Nogueira de Aguiar, com os portões fechados, desde as 7h, mesmo sem ter professor para dar aula, isso, lembrando que no momento dessas fotos já passavam das 9h, e eles continuavam dentro da escola, mesmo após o portão do Leonardas Dores ter sido liberado para os que lá estudam, pode permanecer.

    ResponderExcluir
  4. Sou de THE. Respeito a classe dos professores, apóio até o movimento e acho que não houve nessecidade nenhuma da professora fazer um escândalo desse aqui no PORTALESP. Vi o conteúdo da matéria, vi as fotos e somente achei que foi fatos que até se fosse uma emissora de TV teria captado a manifestação. E se fosse? Vc ía mandar tirar as imagens?? Claro que não né! Então, Façam seus movimentos e deixam a imprensa trabalhar, pois no Piauí não tem ditatura.

    Atenciosamente,

    Agna Ferreira Lima
    Jornalista.

    ResponderExcluir
  5. Não estou defendendo o Kléber, aliás, ele faz o bom trabalho no PORTALESP e no Portal Alternativa da lagoa seca. Mas concordo com a jornalista agna, pois se a professora deveria usar esse monte de palavras que aliás, poucas pessoas vão entender pois tem várias frases sem sentido e ELA deveria usar um microfone de uma rádio qualquer aí em Esperantina para desabafar esse caso. Amigo kleber, continue seu trabalho. está de parabéns.

    Adão Gomes Vieira da Siva
    Professor de Inglẽs em THE.

    ResponderExcluir
  6. Olá internautas do PORTALESP, Sou Jorge Aguiar, professor,crítico político e repórter. Devo parabenzar aos professores e o SINTE_PI pela greve pois merecem bons recursos para manter um bom trabalho, mas acho que a professora GENERALIZOU no comentário em falar que o rapaz que tirou as fotos não ouviu os dois LADOS. Mas pra quê ouvi os dois lados se o Piauí inteiro sabe o motivo da GREVE? Olhe professora Odisséia Brejal, acho que vc não deveria PEDIR para tirar foto nenhuma, a foto da entrevista da professora Elizaudete foi tirar com livre e espontânea vontade da mesma.

    Reveja os fatos e procure também vê os dois LADOS,pois vc está vendo só o lado da GREVE e está esquecendo que os ALUNOS precisam estudar e não teria necessidade alguma estrapolar o comentário visando o posicionamento do rapaz que colaborou com a matéria.

    Jorge Aguiar, Parnaíba - PI

    ResponderExcluir
  7. Gérffeso Andeson, aluno.

    Realmente a professora está generalizando com o comentário. Se ela não gostou da matéria, ela não deveria mandar tirar foto alguma. Vejo em varios sites de teresina a respeito do caso e passa todo dia na televisao. Ao invés da professora falar e falar que o cara que tirou a foto e colocou no portalesp, ela deveria usar esse imenso comentario e tomar a primeira iniciativa de usa-lo como matéria aqui no portal. seria mais viável, não achas?

    ResponderExcluir
  8. Renata Maria da Costa, estudante de direto.

    Para a professora ODISSÉIA BREJAL:

    Lei da Imprensa

    Lei n.º 5.250, e 09/02/1967, ou Lei de Imprensa.

    Art. 71 (LEI DE IMPRENSA):
    Nenhum jornalista ou radialista, ou, em geral, as pessoas referidas no art. 25, poderão ser compelidos ou coagidos a indicar o nome de seu informante ou a fonte de suas informações, não podendo seu silêncio, a respeito, sofrer qualquer sanção, direta ou indireta, nem qualquer espécie de penalidade.

    Art. 5º, XIV (Constituição Federal/1988)
    É assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional.

    Art. 220 (Constituição Federal)
    A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

    Art. 220 parágrafo 1º (Constituição Federal):
    Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto nos art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

    Então professora, antes de comentar, analise nossos direitos e deveres de imprensa.

    Renata Maria da Costa, Teresina - PI

    ResponderExcluir
  9. É muito triste vê a desvalorização dos trabalhadores em educação,tendo que reinvindicar salários, melhore estrutura para as escolas etc. Uma vez que estes seres nobres carregam a dificil tarefa de modelar seres humanos contribuindo para a formação psicologica, profissional, social.... VAMOS ENTRAR NA LUTA: ALUNOS, PAIS, PROFESSORES, DIRETORES.... não quereremos prejudicar o andamento das escolas, queremos ser valorizados. Um país só cresce quando se VALORIZA A EDUCAÇÃO.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  10. Aos desinformados, tudo que fiz foi chamar a atenção do colaborador, porque a matéria que ele postou, deu os créditos da manifestação, à diretora, que no momento em que usava o carro de som, o utilizou para atacar o Sindicato, revejam a matéria novamente. Não estou impedindo o rapaz de trabalhar apenas disse que o mesmo faça seu trabalho com responsabilidade, indo atrás da verdade. E a verdade é que a manifestação era do sindicato, não da diretora que foi lá e ofendeu os manifestantes e, segundo este colaborador, o movimento estava sendo feito por ela. A imprensa precisa trabalhar sim mas, de forma correta.

    ResponderExcluir
  11. Para Agna Ferreira Lima, não estamos trabalhando aqui com hipóteses, estamos trabalhando com fatos. Não teve escâncalo de minha parte, se é que você tem consciência do significado dessa palavra. Outra coisa,em nenhum momento explicitei que a imprensa não faça seu trabalho pelo contrário, a imprensa precisa fazê-lo, porém, todo e qualquer membro de imprensa precisa ter o cuidado de ir atrás da notícia, como ela é, e não escrever o que achou e já transformar em fato. acredito na imprensa mas, naquela que vai atrás da verdade antes de divulgar qualquer coisa. Fazer hipóteses em cima de uma situação não existente (caso da Tv)não convém aqui, me desculpe.

    ResponderExcluir
  12. Para Jorge Aguiar
    Caro Jorge, sendo professor acredito que você é sabedor do mínimo que se necessita numa escola para que a mesma funcione bem. Venha a Esperantina, conheça o CEEP - Leonardo das Dores (escola de ensino médio profissionalizante - oferece cursos técnicos), veja se há condições dos alunos fazerem os cursos que lá são oferecidos. Depois de fazer isso, você se reporta a mim, e diz se tenho ou não razão nos comentários que fiz. Só para constar, os cursos já funcionam há 04 anos.

    ResponderExcluir
  13. Professora Odisséia Brejal22 de fevereiro de 2011 21:36

    Para Adão Gomes da Silva
    Caro professor de Inglês, não sei se você percebeu, que o acontecimento foi exposto, num veículo de comunicação globalizado, portanto, caro colega de classe, houve um enorme erro de direcionamento de quem estava fazendo o manifesto. Acredito que sendo o Sr. um professor, aliás, não precisa nem ser professor para entender, que um erro cometido num meio de comunicação mundial, deve ser rebatido no mesmo meio de comunicação, e não, num microfone de uma rádio qualquer aqui de Esperantina. Vou repetir só para você conseguir entender: o que fiz não foi um desabafo, foi uma correção da matéria postada, releia quantas vezes for necessário para entender do que se trata.

    ResponderExcluir
  14. saio aqui em favor a todo o movimento realizado pelos professores sintePI, mais que justa greve já que por muitas vezes tem de ser usadas as armas que se tem no caso da sociedade que trabalha a vóz, que grita por melhorias não somente para sua classe mais também visa melhorar condições dignas de trabalho aluno professor porteiro secretária..........direta ou indiretamente ao que se refere a educação e acreditando nisto sou a favor já que o aluno de hoje será o advogado de amanhã professor economista jornalista, se hoje ele teve uma intrução bacana da parte dos professores,professores estes que batalham muito e , somente com amor a profissão pois é uma classe desvalorizada .futuramente serão profissionais conscientes

    ResponderExcluir
  15. Professora Odisséia Brejal24 de fevereiro de 2011 09:12

    Para anônimo do 23/02
    Obrigada pelo apoio, em nome de toda a classe, agradeço a você a outros que como você, compreendem os motivos de nossa luta. É por causa de pessoas como você e outros que aqui se manifestaram a favor, porque entendem ser esta nossa única arma, que encontramos forças para continuarmos lutando. Os alunos que formamos hoje, é o cidadão de amanhã e, nossa preocupação é com a qualidade desse tipo de cidadão que estamos formando. Escola sem qualidade, cidadão conformado, submisso. Escola com qualidade, cidadão esclarecido, consciente de seus direitos e deveres, pessoas capazes de fazer um país melhor, uma sociedade mais igualitária. Obrigada.

    ResponderExcluir

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados os comentários:

* não relacionados ao tema do post;
* com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* comentários anônimos, falando mal de alguém.